segunda-feira, setembro 01, 2014

Obrigado Senhor pelo bem-te-vi

Eu nem percebi quando aconteceu, mas eu me apaixonei pelo bem-te-vi.

Sendo bem honesto contigo, minha relação com passarinho não era muito clara. Eu conhecia apenas canário e concris trancafiado numa jaula lançando impropérios em alto tom, gritando e exaurindo os pulmões feito essas cantoras gospel sem nenhum talento ou técnica vocal. Passarinho não me emocionava.

Deixa eu voltar atrás, tinha passarinho que me movia também o coração.

Tinha o Gonzaga doído do amor perdido que cantava o assum preto cego dos óio da maldade de quem queria ouvir cantar melhor. Tinha o black bird do Paul cantando no fim da noite escura, esperando e esperando pra voar. Tinha o sabiá pra quem o Geraldo ficava dando psiu e procurando pelo bem dele, mas eu nunca soube que o sabiá deu qualquer resposta. Alias, tem também o sabiá do Gonçalves/Chico/Tom, mas é coisa de gente com saudade querendo voltar pra casa, eu sempre fui de voar pra lá. Isso é paixão também?.

Eu me expressei mau, eu tenho pelo bem-te-vi um amor de amigo fiel.

Paixão é coisa de adolescente que pensa que a namorada era a luz dos olhos e que a vida não será iluminada sem ela. Paixão é esperar e esperar e esperar pelo momento certo, pela hora certa, pela pessoa certa... que nunca chega na realidade. É dor de abandono que fica tentando replicar a mesma experiência, dando psiu ao leu, procurando reviver o que deixou o coração vazio. Paixão é gaiola.

Amor é querer bem a quem nem merece nem pode fazer por merecer. Amor é possível.

Bem-te-vi é meu passarinho sem nem precisa aprisionar. Amanhã, se Deus quiser, estará ali comigo seja nas Malvinas, no Bessa, no Sarandi... sem expectativas, fantasias, demandas. Ele vive de boa consigo mesmo trazendo uma saudação de bem-querer que Deus ensinou no coração dele.

Obrigado meu amiguinho de peito amarelo, obrigado Senhor pelo bem-te-vi.
Postar um comentário